Conheça 5 doenças gestacionais mais comuns

6 minutos para ler

Embora seja um momento muito lindo na vida das mulheres, a gravidez traz consigo dúvidas e temores — como exemplo, podemos citar as doenças gestacionais. Toda grávida deseja uma gestação tranquila para que não ocorram complicações no momento do parto, mas isso só é possível se ela seguir as recomendações médicas e tomar os cuidados necessários.

Nesse sentido, é importante criar hábitos saudáveis para diminuir os riscos relativos tanto à mãe quanto ao bebê, garantindo que tal período seja um momento feliz e inesquecível. Portanto, conhecer as doenças gestacionais mais comuns é essencial para saber o que precisa ser evitado nessa fase da vida.

Para ajudar você a entender melhor o assunto, listamos os cinco principais tipos de doenças que se desenvolvem na gravidez. Acompanhe!

Quais são as doenças gestacionais mais comuns?

Conheça a seguir os sintomas das principais doenças gestacionais. Lembre-se de que a procura por ajuda médica nesse momento é indispensável.

1. Pré-eclâmpsia

Quando a pressão arterial da gestante fica acima de 140/90 mmHg (a qualquer momento depois da vigésima semana, com o desaparecimento até 12 semanas após o parto), ocorre o que chamamos de pré-eclâmpsia.

Além da elevação na pressão arterial, podem surgir outras complicações, como edema e excesso de proteína na urina. A causa dessa doença gestacional ainda é desconhecida, no entanto existem alguns fatores de riscos que exigem atenção, como:

  • histórico familiar de pré-eclâmpsia;
  • gravidez após os 35 anos;
  • intervalo de dez anos ou mais entre as gestações;
  • gravidez múltipla;
  • primeira gravidez.

A presença de algumas doenças também pode contribuir para o desenvolvimento da pré-eclâmpsia, a exemplo de:

  • enxaqueca;
  • hipertensão;
  • obesidade;
  • doença renal etc.

O aumento da pressão durante a gravidez é o principal sintoma da pré-eclâmpsia, mas outros sinais também devem ser observados:

  • rápido aumento de peso (entre dois a cinco quilos em uma semana, por exemplo);
  • inchaço, principalmente na face, nas mãos e nos pés;
  • dor de cabeça;
  • falta de ar;
  • urinar com menos frequência;
  • náuseas;
  • vômitos;
  • convulsão etc.

2. Diabetes gestacional

O diabetes gestacional ocorre quando há o aumento dos níveis de glicose no sangue (hiperglicemia) pela primeira vez durante a gestação. Isto é: se a mulher já apresentava um quadro de hiperglicemia antes de ficar grávida, o diabetes não se enquadra como gestacional.

Além disso, geralmente tal condição é curada logo após o parto. Ainda não se sabe ao certo por que essa doença se desenvolve, mas é interessante ressaltar que a placenta produz altos níveis de diversos hormônios, sendo que a maioria deles prejudica a ação da insulina nas células — o que, por sua vez, aumenta o nível de açúcar no sangue.

Alguns sintomas que podem surgir com o diabetes gestacional são:

  • aumento da micção;
  • mais fome;
  • aumento da sede;
  • visão turva.

3. Asma

As mulheres asmáticas precisam ter atenção redobrada durante a gravidez, pois algumas particularidades desse período intensificam os sintomas: a principal delas é referente às alterações hormonais. Em suma, podemos afirmar que alguns hormônios dilatam o calibre dos brônquios, enquanto outros estreitam, contribuindo para o agravamento da doença.

Durante a gestação, os receptores que são responsáveis pelo relaxamento dos brônquios também podem apresentar problemas. Devido a isso, os tubos passam a ficar mais apertados, dificultando bastante a passagem do ar.

Por fim, ressaltamos que o sistema imunológico da mulher fica mais fraco durante a gestação. Isso a torna propensa ao desenvolvimento de diversas infecções, inclusive respiratórias, as quais podem agravar o quadro da asma. Além de realizar o tratamento adequado, a gestante precisa:

  • manter distância do cigarro e até de pessoas que fumem;
  • evitar contato com animais de estimação, poeira e mofo;
  • se proteger ao máximo das mudanças bruscas de temperatura.

4. Cistite

A cistite, também conhecida como infecção urinária, é muito comum durante a gravidez. Embora o trato urinário não contenha germes, a gestação provoca mudanças físicas no corpo da mulher. Devido à extensão da barriga, muitas vezes a grávida também apresenta dificuldades com a higiene íntima, o que aumenta a possibilidade de desenvolver infecções.

Quando ocorre na gravidez, a cistite é um caso considerado grave, uma vez que existe o risco de as bactérias migrarem em direção aos rins. Outro agravante está relacionado à impossibilidade de esvaziamento da bexiga, pois isso favorece o acúmulo de urina no útero e aumenta o risco de multiplicação das bactérias.

Entre os principais sintomas dessa doença gestacional, podemos citar:

  • ardência ao urinar;
  • vontade de urinar mesmo com a bexiga vazia;
  • dificuldade para segurar a urina;
  • presença de sangue na urina;
  • dor na bexiga etc.

5. Distúrbios da tireoide

Toda grávida é suscetível a tais distúrbios, pois as dosagens desse tipo de hormônio sofrem alterações durante a gestação. As glândulas da tireoide desempenham um papel muito maior do que se imagina nesse período: são elas que “seguram” o embrião no útero, garantem o bom desenvolvimento do bebê e regulam o organismo da mulher. Incrível, não?

Devido a tantas responsabilidades, a tireoide se sobrecarrega durante a gravidez, pois precisa produzir 50% a mais de hormônio. Quando essa meta não é atingida, complicações podem surgir, como o hiper ou hipotireoidismo.

Por esse motivo, é fundamental controlar a tireoide antes, durante e após a gestação, uma vez que alterações mínimas podem desencadear um parto prematuro.

Por que é importante contar com um plano de saúde?

Infelizmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) não tem estrutura financeira suficiente para prover todos os exames clínicos dos quais uma gestante precisa. Assim, é preciso arcar com os custos de cada um deles ou deixar de realizá-los — o que gera riscos enormes tanto para a mamãe quanto para o bebê.

Levando isso em consideração, é importante contar com um plano de saúde para atender a todas as suas necessidades durante a gestação. Ao escolher a opção ideal, será possível ter uma gravidez tranquila e sem contratempos financeiros, já que você realizará todos os exames necessários para garantir seu bem-estar e sua qualidade de vida.

Como vimos, se não tratadas adequadamente, as doenças gestacionais podem oferecer riscos à gestante e ao feto. Sendo assim, não deixe de visitar regularmente seu médico para manter os check-ups em dia e assegurar uma gravidez tranquila.

A Usina do Seguro pode ajudar você nesse momento. Entre em contato conosco para conhecer nossos planos e condições. Estamos à sua disposição!

[rock-convert-cta id=”1988″]

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-