Conheça as 7 doenças hereditárias mais comuns!

doenças hereditárias
6 minutos para ler

Muitas pessoas sofrem com o desenvolvimento de doenças hereditárias, ou seja, aquelas enfermidades geneticamente herdadas, como o próprio nome já diz. Isso significa que ela pode ser transmitida de geração para geração e se manifestar em qualquer momento da vida do indivíduo.

Você já deve ter conhecido famílias com vários membros com obesidade, diabete, hipertensão ou alergia, por exemplo. Pois bem, nesses casos, a doença faz parte da genética familiar.

É muito importante conhecer essas doenças para saber a quem recorrer em caso de suspeitas. Acompanhe este artigo até o final e conheça as 7 doenças hereditárias mais comuns!

1. Hemofilia A

Essa doença hereditária diz respeito a um distúrbio na coagulação do sangue. Quando você corta qualquer parte do seu corpo, os elementos que são responsáveis pelo desenvolvimento e crescimento de todos os tecidos do seu corpo, chamados de proteínas, começam a estancar o sangramento, fazendo com que ele cesse.

Esse processo chama-se coagulação. Então, quando o indivíduo é portador de hemofilia A, ele não tem essas proteínas que evitam o sangramento e, devido a isso, ele sangra mais do que o normal.

Normalmente, um dos sintomas é o sangramento interno, isto é, em locais que não é possível ver, como nos músculos. O sangramento externo também pode ocorrer, como nas regiões mucosas (gengiva, nariz etc.) provocando manchas roxas na pele.

2. Depressão

A depressão é um distúrbio emocional que proporciona uma profunda tristeza no indivíduo. Além disso, essa doença também faz com que a pessoa perca o interesse em realizar suas atividades cotidianas, diminui o ânimo, o apetite, ocasiona oscilações no humor e, inclusive, provoca pensamentos suicidas.

Entre os principais sintomas dessa doença podemos citar:

  • medos;
  • desmotivação;
  • alto grau de pessimismo;
  • irritabilidade;
  • sensação de vazio;
  • ansiedade;
  • angústia.

A pessoa depressiva precisa de um acompanhamento médico imediato. É necessário ressaltar essa questão porque muitos encaram esse problema como algo sem importância e que logo tudo passará, o que não é verdade. A depressão é uma doença séria e precisa de cuidados especiais para não ter problemas futuros.

3. Diabetes

diabetes se desenvolve quando o nosso organismo não consegue fabricar a quantidade de insulina necessária para fazer um controle correto da glicose em nosso organismo — a insulina é o hormônio produzido no pâncreas, responsável pelo transporte da glicose para as células.

Em decorrência disso, ocorre a hiperglicemia, a qual caracteriza-se pelo acúmulo de glicose no sangue, dando origem a essa doença tão temida.

Existem dois tipos de diabetes, os quais detalharemos a seguir. Acompanhe.

Diabetes tipo 1

A diabetes tipo 1 se desenvolve quando o organismo ataca, de maneira errada, as células do pâncreas que são responsáveis por produzir a insulina. Quando isso acontece elas são destruídas, ocasionando o acúmulo de glicose na circulação e proporcionando diversos problemas para os órgãos, como a insuficiência renal.

Powered by Rock Convert

Diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 também é conhecido como diabetes do adulto ou não insulinodependente. Ele é causado quando as células do corpo se tornam resistentes à ação da insulina.

Assim, ao ingerir produtos com alto teor de açúcar, eles se transformam em glicose à medida que ocorre a metabolização dele no organismo.

Para que o nosso corpo consiga produzir energia, essa glicose precisa ser transportada para as células do corpo, porém, para transportá-la, faz-se necessária a ação da insulina que é liberada pelo pâncreas.

No entanto, quando as células apresentam resistência à ação desse hormônio, impedindo uma absorção efetiva da glicose, ocorre o que chamamos de diabetes tipo 2

4. Câncer

Embora o câncer seja uma doença que procede da interação entre fatores ambientais, como infecções, exposição solar, tabagismos, maus hábitos alimentares, entre outros, ele também pode se desenvolver devido a fatores genéticos. No caso do câncer de cólon e de mama, por exemplo, a hereditariedade é o fator que mais tem peso para apontar se a pessoa corre o risco de desenvolver a doença ou não.

Em casos de predisposição genética, um oncologista precisa ser consultado para que um acompanhamento contínuo seja realizado. Isso porque se o tumor for diagnosticado ainda em sua fase inicial, as chances de cura aumentam.

5. Fibrose Cística

Além de ser uma doença hereditária, a fibrose cística também é recessiva e autossômica. Isto é, se o pai ou a mãe são portadores da doença, ela também afetará o filho. Essa enfermidade é responsável por acumular secreções mais pegajosas e densas no trata digestivo, nos pulmões e outras áreas do corpo, comprometendo o aparelho respiratório, digestivo e as glândulas sudoríparas.

Essa doença é causada por um defeituoso gene que faz com que o organismo produza um líquido denso, chamado de muco que se acumula nas vias respiratórias dos pulmões e, inclusive, na região do pâncreas.

6. Daltonismo

A pessoa portadora do daltonismo não consegue diferenciar algumas cores específicas, devido a uma deficiência visual. Essa doença é uma alteração genética hereditária que está ligada ao cromossomo X. Nesse distúrbio, ocorre um problema nos chamados cones, que ficam localizados na retina, que nada mais são que os pigmentos de algumas cores em células nervosas. Com isso, a pessoa tem problemas para identificar várias cores, brilho ou tonalidades.

7. Distrofia muscular

Essa doença hereditária ocorre quando os músculos que são responsáveis por controlar os movimentos do indivíduo enfraquecem de maneira progressiva. Normalmente, só são afetados os músculos de movimentos voluntários. No entanto, é preciso um acompanhamento médico rígido, tendo em vista que outras formas da doença podem afetar o coração ou outros órgãos vitais de movimentos involuntários.

A fraqueza muscular progressiva é a principal característica dessa enfermidade, mas é preciso ficar atento também quando outros sintomas surgirem, como:

  • dificuldades para se levantar;
  • quedas frequentes;
  • problemas para pular ou correr;
  • dificuldades na aprendizagem etc.

Infelizmente, não são todas as doenças hereditárias que têm cura. Por esse motivo, é fundamental fazer seus exames de rotina e consultar um médico de sua confiança constantemente. Somente ele poderá analisar a situação atual da sua saúde e verificar se você está fora de perigo.

Gostou do nosso artigo? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter para ficar informado semanalmente com nossos conteúdos exclusivos!

Banner Fale com um especialistaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar
-