Entenda como funciona a faixa etária dos planos de saúde

6 minutos para ler

Além dos serviços prestados pelo plano da saúde e da rede credenciada, a idade também apresenta grande influência no valor final. Por esse motivo, é essencial conhecer quais são as faixas etárias da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) para conseguir estimar qual é o preço do seu convênio.

Ao considerar a sua faixa etária do plano de saúde, é possível optar por opções mais acertadas de plano, tomando como base os serviços disponibilizados que poderão ser mais úteis para cada pessoa. Contudo, você sabe como é dividida a tabela de faixa etária? Pensando nisso, neste post falaremos mais sobre o assunto. Acompanhe!

Como é dividida a tabela de faixa etária?

Hoje em dia, a tabela para contratação de plano de saúde é dividida em 10 faixas etárias. Lembrando de que o valor sofre reajuste quando há a migração de uma faixa para a outra. A divisão é feita da seguinte forma.

0 a 18 anos

Essa é a faixa etária mais barata, visto que, por lógica, as pessoas mais jovens são mais saudáveis e, com isso, frequentam menos o consultório. Com exceção dos bebês e crianças de até mais ou menos os 4 anos, que necessitam de maior acompanhamento. Mesmo assim, os preços são menores devido ao fato de a maioria ser consultas e não procedimentos complexos, salvo casos de doenças crônicas.

19 a 23 anos

Nessa faixa etária, eliminando a chance de algum histórico de doença crônica, as visitas ao médico são algumas idas de emergência ao pronto-socorro ou alguns procedimentos de prevenção. Por esse motivo, se você investirá em um plano de saúde, é possível ter alternativas mais baratas que cubram as suas demandas.

24 a 28 anos

Antes, mulheres nessa faixa etária já pensavam em engravidar, mas isso tem mudado conforme os dados recentes do IBGE. Dessa forma, beneficiários nessa idade objetivam atendimentos de urgência e prevenção.

29 a 33 anos

Geralmente, nesse período algumas mulheres planejam ter filhos. Por esse motivo, procure hospitais com atendimento laboratorial e hospitalar direcionado para esse público. Busque por ótimas ginecologistas, pediatras e maternidades. Caso isso ainda não esteja nos seus planos, hospitais e clínicas para realizar exames de rotina podem ser o suficiente.

34 a 38 anos

Nesse período, é comum que os usuários também desejem contratar um plano para a família, além de acompanhamentos médicos e checkups começarem a se tornar mais constantes. Caso o indivíduo tenha filhos pequenos, procure um pronto-socorro 24 horas e bons pediatras.

39 a 43 anos

Os exames de rotina se tornam cada vez mais frequentes, sendo que é cada vez mais necessário procurar por especialidades, como endocrinologistas, cardiologistas, oncologistas, dentre outros. Inclusive, os dependentes do plano já estão mais velhos, podendo até já ter mudado para uma faixa etária com valor mais elevado.

44 a 48 anos

Caso o usuário tenha filhos que estejam como seus dependentes no plano de saúde, eles avançam nas faixas etárias, encarecendo o seu plano. O lado bom disso é que não necessitam mais de atendimento especializado, logo, a prevenção deve estar direcionada para os titulares.

Os planos de saúde ficam com valores cada vez mais altos caso a pessoa tenha mais de 40 anos. Isso porque, nesse período, o ideal é que o usuário faça exames periódicos como de próstata, mama, cardiovasculares e ultrassons da tireoide. 

49 a 53 anos

Nesse período pode ser que o usuário não tenha mais dependentes em seu plano de saúde, porém, os valores continuam muito altos. Isso acontece porque as operadoras e as seguradoras acreditam que quanto mais velho o beneficiário mais ele necessita de serviços de saúde. Nesse cenário, eles estão certos. O número de checkups e consultas que você realiza ao longo do ano aumentarão.

54 a 58 anos

Esse período é o penúltimo a sofrer reajuste, sendo que a medida que passam as faixas etárias, os planos costumam ficar mais caros. Muitos acreditam que pode ficar insustentável manter o serviço, mas há formas de economizar.

Acima de 59 anos

Pode ser muito difícil encontrar um plano de saúde para idosos, visto que os valores dessa faixa etária são os mais elevados, por mais que após os 59 anos não ocorra mais reajuste por faixa etária. Nesses cenários é preciso analisar quais são as suas necessidades em saúde.

Por que funciona dessa forma?

A tabela de plano de saúde por faixa etária é utilizada em todas as regiões do país, e objetiva cobrar um valor justo pelos serviços de assistência médica, de acordo com a utilização. Isso ocorre porque quanto mais jovem o indivíduo menos chances de ocorrerem doenças, sendo necessário utilizar com menos frequência o serviço.

Já os usuários com mais idade costumam utilizar mais vezes o plano de saúde, pois, em razão da idade, ficam mais suscetíveis a problemas médicos e debilitadas. Por esse motivo, quando você deseja realizar a cotação de um plano de saúde são solicitados alguns dados, entre eles a data de nascimento ou idade das pessoas.

Quais os reajustes feitos pelos planos baseados na faixa etária?

A ANS determinava que os reajustes por mudança de faixa etária fossem autorizados em 7 faixas etárias: 0 a 17 anos; 18 a 29 anos; 30 a 39 anos; 40 a 49 anos; 50 a 59 anos; 60 a 69 anos e 70 anos. Todavia, depois do “Estatuto do Idoso” foi proibida a discriminação do idoso em planos de saúde, por meio da alteração de valores devido à mudança de faixa etária.

Assim, a fim de adaptar a lei de regulação de seguradoras e planos de saúde ao Estatuto do Idoso, a ANS determinou 10 faixas etárias por meio da Resolução Normativa 63/03, começando a última faixa etária aos 59 anos.

Por fim, a melhor forma de economizar é delinear quais são as suas necessidades em conformidade com a sua faixa etária do plano de saúde. Dessa maneira, se torna possível realizar uma escolha mais acertada e também que caiba no seu bolso.

Aproveite a visita para entender o quão importante é ter um plano de saúde e fique ainda mais por dentro do assunto!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-