[DEZ/19] [ESTENDER + 1000] Exames de rotina: por que você deve fazer? Quais exames fazer?

quais exames de rotina devo fazer
9 minutos para ler

Os exames de rotina são fundamentais para identificar doenças logo no início do seu desenvolvimento e, também, para garantir a eficácia do tratamento. Quanto mais cedo o médico diagnosticar uma doença séria, como o câncer, por exemplo, maiores são as suas chances de recuperação.

É necessário ressaltar que a saúde é um dos nossos maiores bens. Sem ela, ficamos limitados para realizar qualquer atividade do nosso dia a dia. Por esse motivo, é importante que você esteja sempre atento, a fim de se prevenir e garantir uma boa qualidade de vida.

Com base em tudo isso, escrevemos este artigo para mostrar a você que está se perguntando “quais exames de rotina devo fazer” para mostrar quais modalidades são indispensáveis para a boa manutenção de sua saúde. Acompanhe!

Por que é importante fazer exames de rotina?

Por não apresentarem sintomas, muitas pessoas acreditam que estão com a saúde perfeita e acabam não procurando um profissional da saúde. Porém, a realidade pode ser outra, já que existem diversas doenças que se desenvolvem silenciosamente e, quando identificadas, pode ser tarde para um tratamento adequado e efetivo.

Dado o contexto, realizar um check-up, isto é, um conjunto de exames de rotina regularmente para diagnosticar doenças que não apresentam sintomas é uma das melhores medidas preventivas que você pode tomar. Muitas doenças, quando detectadas nos estágios iniciais, garantem muito mais probabilidade de um tratamento bem-sucedido e a completa cura.

Infelizmente, os médicos nem sempre conseguem mostrar aos seus pacientes a importância dos exames de rotina, principalmente pelo fato deles não irem nas consultas. Contudo, com um bom plano de saúde, você pode realizar o check-up em laboratórios e clínicas que fazem os testes que mostraremos no decorrer deste artigo.

Quando fazer os exames de rotina?

Os exames de rotina devem ser realizados em todas as idades, mas fatores como o histórico clínico do paciente e a idade devem ser levados em consideração, podendo levar à necessidade de aumentar a frequência das consultas dos tipos de exames.

Quais exames de rotina devo fazer?

Agora que você já tem uma noção mais ampla sobre a importância de realizar avaliações regulares sobre a saúde, mostraremos quais exames de rotina fazer para evitar riscos e garantir mais qualidade de vida.

Exame de sangue

Esse tipo de exame vai identificar se os componentes do sangue estão regulares e, do mesmo modo, avaliará as condições dos tecidos formadores, como a medula óssea. O exame de sangue pode mostrar se algum órgão do seu corpo está doente.

Além disso, ele também consegue diagnosticar e verificar sintomas como febre, fadiga e fraqueza. Assim, o médico poderá identificar a causa desses indícios e indicar o tratamento correto.

Colonoscopia

Esse exame é realizado para que o médico verifique o estado interno do revestimento dos intestinos. Sua finalidade é detectar de maneira precoce algumas disfunções intestinais e a existência de câncer de cólon.

Triglicérides

As triglicérides são moléculas compostas por dois tipos de gorduras —​ o glicerol e o colesterol — ​que podem ser ingeridas por meio de alimentos ou, então, serem produzidas pelo nosso organismo. Esse tipo de exame identifica os valores de triglicérides presentes no sangue, os quais podem ser baixos, altos ou normais.

Quando esses valores estão alterados, há grandes chances de você desenvolver um problema cardiovascular. Por essa razão, é importante realizar o exame anualmente, principalmente se você apresentar algum fator de risco, como histórico familiar ou obesidade.

Mamografia

Esse exame, que é específico para mulheres, serve para detectar pequenas calcificações que podem evoluir para tumores malignos e, é claro, o próprio câncer de mama. Para mulheres que já completaram 40 anos, deve ser realizado anualmente. Pacientes que têm histórico familiar são consideradas de alto risco e, portanto, podem começar a realizar os testes a partir dos 35 anos.

Para complementar o exame de mamografia, o médico pode pedir, ainda, um ultrassom para distinguir certas lesões.

Ecodopplecardiograma

É uma espécie de ultrassom do coração que tem como objetivo analisar aspectos anatômicos do órgão, tais como funções de diversas estruturas cardíacas, dimensões e fluxo sanguíneo, por exemplo.

Por meio desse teste, é possível diagnosticar alterações relacionadas à miocardiopatias (músculo cardíaco), coronariopatias (artérias), hipertensão arterial, disfunções nas válvulas do coração, entre outras.

Eletrocardiograma

O eletrocardiograma detecta o número de batimentos cardíacos e o ritmo do coração. Nos casos em que o paciente apresenta colesterol alto, pressão alta, histórico familiar de problemas cardíacos precoce e diabetes, ele pode ser usado para avaliar o estado de saúde do coração.

Nos demais casos, ele tem a função de identificar patologias coronarianas, arritmias, problemas nas válvulas cardíacas, pericardite, entre outras mazelas que afetam esse órgão.

Powered by Rock Convert

Papanicolau

Esse tipo de exame é um dos mais indicados para as mulheres, isso porque o câncer de colo no útero é considerado um dos mais comuns no Brasil e, por essa razão, precisa ser diagnosticado o quanto antes.

Um estudo realizado pela equipe médica do Hospital do Câncer de Barretos afirma que a taxa de mortalidade de mulheres que apresentam o diagnóstico desse tipo de câncer caiu 34,88%, devido aos exames preventivos.

Densitometria óssea

É comum que esse exame deva começar a ser realizado a cada dois anos após o paciente completar 50 anos, mas se houver histórico familiar, é recomendado que os testes se iniciem mais cedo.

Sua finalidade é prevenir a osteoporose, uma enfermidade silenciosa e altamente agressiva para a terceira idade, pois uma simples fratura pode afetar de forma grave a qualidade de vida do indivíduo.

Teste de ácido úrico

Esse exame serve para detectar a presença de altos níveis de ácido úrico:

  • no sangue — que pode indicar gota;
  • na urina — que podem estar diretamente ligados à formação de cálculos renais;
  • em pessoas durante radioterapia ou quimioterapia.

Ou seja, quando o indivíduo apresenta risco de cálculos renais, dores articulares, sintomas que sugestionem gota ou em tratamentos para câncer, deve realizar o exame. Vale destacar que muitos laboratórios recomendam que a pessoa esteja em jejum.

Exame de ureia

Produzida pelo fígado, a ureia é uma substância que resulta do processo de metabolismo das proteínas obtidas na ingestão de alimentos. Assim que a metabolização é feita, os rins filtram a uréia circulante no sangue, eliminando-a pela urina.

Contudo, se o paciente tem problemas nos rins ou no fígado — ou quando sua dieta é rica em proteínas — ocorre o aumento da quantidade de uréia circulante no sangue, desencadeando um quadro de uremia, que é uma condição altamente tóxica para o organismo.

Partindo desse contexto, o exame tem como objetivo identificar o aumento da concentração de ureia no sangue, pois isso pode significar que o fígado está metabolizando uma quantidade muito alta de uréia ou, pior, que os rins não estão funcionando plenamente. Ou seja, o processo de filtração do sangue está reduzido.

Entre os motivos pelos quais pode ocorrer aumento de ureia no sangue, podemos citar:

  • desidratação;
  • insuficiência renal;
  • dieta rica em proteínas;
  • diminuição do fluxo de sangue para os rins — por conta de um infarto ou insuficiência cardíaca congestiva, por exemplo;
  • queimaduras graves.

Por isso, é fundamental que a doença seja identificada a tempo para que o tratamento adequado seja iniciado, por meio da indicação de remédios para controle da pressão, diálise ou quantidade de urina, que costuma ser indicada em casos mais graves — quando outros aspectos mais graves estão alterados. Vale destacar que esse exame também necessita que o paciente esteja em jejum.

Controle da tireoide

As mulheres têm três vezes mais chances de desenvolver problemas da tireoide, após atingirem os 30 anos, em especial o hipotireoidismo. Os sintomas mais comumente identificados pelas pacientes são a perda de cabelo acentuada, aumento da sonolência, enfraquecimento das unhas e dificuldade em perder peso.

Para diagnosticar a doença, o exame consiste em dosar os hormônios tireoidianos TSH, T3 e T4. Todavia, quando se o profissional endocrinologista suspeitar que há presença de nódulos, pode sugerir que outros exames sejam feitos, como cintilografia, ultrassonografia ou até mesmo uma biópsia.

É importante destacar que os homens não estão isentos dessa doença e devem realizar o exame quando o médico solicitar.

Glicemia em jejum

É um exame de sangue muito importante que precisa ser feito com um jejum de, pelo menos, oito horas de antecedência. Seu objetivo é identificar o nível de açúcar no sangue para que a diabetes possa ser identificada, uma doença crônica que pode ser administrada com mais segurança quanto mais precocemente for diagnosticada.

Exame de próstata

Embora ainda o preconceito e receio seja grande, esse exame é fundamental para diagnosticar o câncer de próstata logo no início de seu desenvolvimento e aumentar chances de cura. Esse tipo de exame é recomendado para homens com idade acima de 45 anos.

Como você pôde contemplar neste conteúdo sobre quais exames de rotina devo fazer, esses procedimentos são essenciais para assegurar que você está saudável ou identificar doenças a tempo de serem tratadas da maneira mais adequada possível.

Nesse sentido, é importante também contar com um plano de saúde que facilite a realização desses exames, sem precisar que você tenha que depender do atendimento precário do Sistema Único de Saúde (SUS) ou, então, tenha que desembolsar altas quantias em dinheiro para pagar por esses exames.

Este conteúdo foi útil para você? Quer receber mais artigos informativos todas as semanas diretamente em seu e-mail? Então, assine a nossa newsletter para se manter por dentro de todas as novidades!

Banner Fale com um especialistaPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-