Entenda qual a importância da vacina tríplice viral

vacina tríplice viral
7 minutos para ler

Provavelmente, você deve ter ouvido falar sobre a vacina tríplice viral, já que, em 2019, houve uma forte campanha de vacinação contra sarampo, rubéola e caxumba, que são doenças que já haviam sido consideradas erradicadas.

Para que essas enfermidades não voltem a fazer contaminações em massa, o Ministério da Saúde investiu em programas de vacinação disponíveis para toda a população, ou seja, crianças, adolescentes e adultos.

Para sanar todas as suas dúvidas sobre o assunto, neste artigo, falaremos sobre a importância da vacina tríplice viral, como ela é composta, a quem é destinada e quais são os motivos para se vacinar. Acompanhe a leitura e confira!

O que é a vacina tríplice viral?

É uma vacina obrigatória que previne três doenças sérias — caxumba, sarampo e rubéola —, sendo composta pela combinação de vírus vivos atenuados e administrada em forma liofilizada em ampola, com a aplicação de uma ou de múltiplas doses.

Vale mencionar, ainda, que os três componentes da vacina tríplice viral são significativamente imunogênicos e eficientes, garantindo uma imunidade duradoura por praticamente a vida inteira. A proteção começa, aproximadamente, depois de duas semanas após a vacinação.

Quantas doses da vacina é preciso tomar e quando?

Para se manter por dentro das datas de vacinação, é importante seguir o calendário nacional orientado do Ministério da Saúde. Para crianças, é preciso tomar uma dose da tríplice viral aos 12 e uma de tetra viral aos 15 meses de idade.

Para pessoas com até 49 anos de idade que não cumpriram o esquema, o Ministério da Saúde preconiza:

  • duas doses da vacina tríplice viral ou tetra viral — até os 29 anos;
  • uma dose única da vacina tríplice viral ou tetra viral — dos 30 aos 49 anos.

Quem já foi vacinado com duas dessas injeções no decorrer da vida, não precisa se preocupar mais com isso. No entanto, em casos de surtos — ou até mesmo durante a realização de campanhas de reforço de vacinação — é sensato tomar uma vacina adicional.

Para quem ela é indicada?

A vacina tríplice viral é comumente recomendada para crianças, adolescentes e adultos. Como já foi dito, a criança deve receber suas duas primeiras doses aos 12 e 15 meses de idade, consecutivamente.

É considerado adequadamente vacinado o indivíduo que tenha recebido suas duas doses de tríplice viral depois de até um ano. Lembrando, mais uma vez, que quem não recebeu a vacina quando bebê pode ser vacinado em qualquer momento da vida.

Quem não deve tomar a vacina tríplice viral?

Existe um grupo de risco que deve evitar a vacina tríplice viral. Entre as características que as pessoas que compõem esse grupo têm, podemos citar:

  • reação anafilática sistêmica antecedente, após ingerir ovo de galinha — por reação anafilática sistêmica, entende-se a reação imediata que se instala na primeira hora após o estímulo do alérgeno (dificuldade respiratória, urticária generalizada, choque, edema de glote ou hipotensão);
  • pessoas com comprometimento da imunidade por medicação ou doença;
  • gestantes;
  • histórico de anafilaxia depois de uma aplicação de dose anterior da vacina tríplice viral ou algum de seus componentes;
  • pessoas imunodeprimidas;
  • pessoas que tenham recebido administração de imunoglobulina padrão, sangue total ou plasma nos últimos três meses.

Quais doenças ela previne?

Como consta no próprio nome, a vacina tríplice viral previne três tipos diferentes de doenças. A seguir, saiba mais sobre cada uma delas.

Sarampo

Uma enfermidade infectocontagiosa que é causada por um vírus conhecido pelo nome Morbilivirus. A doença é uma das principais causadoras de mortalidade infantil em países subdesenvolvidos e responsável por surtos em países desenvolvidos, nos quais não há uma alta cobertura vacinal.

Caxumba

A caxumba é uma enfermidade também contagiosa, que tem como seu principal sintoma um inchaço doloroso na região das glândulas salivares. Ela é causada por um vírus que se propaga de um indivíduo para outro, por meio do contato direto com objetos que foram contaminados pela saliva infectada ou por meio das vias respiratórias (por exemplo, por gotículas ao espirrar).

Rubéola

Mais uma doença contagiosa que é causada por um vírus capaz de se transmitir de um indivíduo para outro por meio das vias respiratórias. Em geral, a rubéola é benigna, porém, quando acontece na gravidez, pode levar o feto a desenvolver uma enfermidade conhecida como “síndrome da rubéola congênita”, resultando em diversas malformações.

Uma pessoa contaminada com rubéola pode transmitir o vírus para outras pessoas entre uma semana anterior ao aparecimento da erupção, até 15 dias após seu desaparecimento.

Devido aos programas de vigilância epidemiológica a às sucessivas campanhas de vacinação, no Brasil, doenças como o sarampo, a caxumba e a rubéola foram erradicadas. Mas, para que a situação se mantenha, é importante que a vacinação não pare.

Quais cuidados ter antes, durante e após a vacina?

A seguir, mostraremos alguns dos principais cuidados que é preciso ter durante o processo de vacinação da tríplice viral:

  • indivíduos que utilizaram medicações imunodepressoras só devem receber a vacina pelo menos um mês depois da suspensão do uso da substância;
  • para indivíduos em quimioterapia ou que estejam fazendo uso de medicamentos que causem imunodepressão, a vacinação só deve ocorrer três meses após a suspensão do tratamento;
  • quem recebeu transplante de médula óssea só pode receber a vacina de um a dois anos após a cirurgia;
  • após receber a vacina, é altamente recomendado que se evite a gravidez nos próximos 30 dias;
  • caso ocorram reações no local da aplicação da vacina, compressas frias podem aliviar;
  • caso haja febre, é importante adiar a vacinação até que o paciente melhore;
  • o médico deve ser notificado sobre qualquer sintoma grave ou inesperado que ocorra depois da vacinação.

Vale mencionar que sintomas persistentes ou adversos, que se prolonguem por mais de três dias, devem ser analisados para verificar as causas.

Por que a vacina tríplice viral é tão importante?

Por fim, vale mencionar alguns dos principais benefícios que a vacina tríplice viral oferece:

  • proporciona a proteção necessária contra graves doenças;
  • produz anticorpos para que o indivíduo tenha uma vida mais saudável;
  • evita que outras pessoas sejam contagiadas, garantindo a qualidade de vida da população;
  • reduz exponencialmente os riscos de contágio de sarampo, caxumba e rubéola.

Como você pôde concluir neste conteúdo, a vacina tríplice viral é indispensável, já que é responsável por ajudar a extinguir três doenças graves que acometiam frequentemente adultos e crianças há algumas décadas.

Além disso, mostramos de que forma suas doses devem ser aplicadas em pessoas de diferentes idades, para quem ela é indicada e quais os grupos de risco que devem evitar a vacina.

O que você achou de nosso artigo sobre a importância da vacina tríplice viral? Tem alguma opinião ou experiência sobre o assunto que queira compartilhar? Então, aproveite para deixar o seu comentário no post!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-